Pesquisadores revelam aumento de 30.000% de ameaças cibernéticas

Desde janeiro de 2020, $ 19 milhões de dólares já foram perdidos em golpes relacionados ao Coronavírus.

Este tipo de ataque mais que dobrou no Brasil nestes meses em que o mundo combate a pandemia. Os ataques de phishing contra dispositivos móveis aumentaram 124% em março.

O Brasil ocupa o 70º lugar no índice de segurança cibernética da UIT (União Internacional de Telecomunicações, das Nações Unidas) e é o segundo país mais afetado em termos de perdas econômicas devido a ataques cibernéticos.

Ainda em fevereiro deste ano foram registradas a criação de milhares de sites maliciosos com a função de disparar mensagens para download de ‘player de vídeo’ para atrair as vítimas. Apesar de trazerem nomes com palavras como Wuhan (cidade chinesa onde se iniciou a pandemia) ou Covid, fazer um destes downloads abre a porta para cibercriminosos.

De acordo com estatísticas da Federal Trade Comission, atualizadas diariamente, mais de $ 19 milhões de dólares foram perdidos em golpes relacionados ao Coronavírus. O número é baseado em reclamações de consumidores recebidas desde janeiro deste ano.

Em 2018, empresas brasileiras calcularam perdas de mais de $ 20 bilhões de dólares, afetando direta ou indiretamente 70 milhões de pessoas. Durante 2019, o Brasil viu mais de 2 bilhões de ameaças por e-mail, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, com 10 bilhões de ameaças por e-mail e a China, com 4 bilhões.

Como se proteger?
Fique atento ao incluir senhas para participação em sorteios, prêmios, bonificação de valores financeiros, vagas de emprego e temas relacionados ao coronavírus.

Sempre baixe aplicativos por meio das lojas oficiais!

Avalie o conteúdo, os comentários dos usuários e quem o desenvolveu. Durante a instalação é necessário analisar os dados solicitados, armazenamento, localização, lista de contatos, câmera, microfone e pondere se o aplicativo realmente precisa dessa permissão.

É necessário estar atento a origem do link e da informação que recebemos. Recomenda-se a pesquisa em sites oficiais ou sites de busca. Ao identificar uma notícia falsa, é importante comunicar a pessoa que a encaminhou e evitar que a fake news se propague.

Não aceitar convite de pessoas desconhecidas nas redes sociais, que terão acesso a sua vida, seus amigos, locais que frequenta e às fotos. É importante evitar que essas informações possam ser usadas em futuros golpes.

Ainda nas redes sociais, utilizar a função de dois fatores de autenticação para o login. Os criminosos têm usado ligações para realizar fraudes por chamadas, solicitando envio de pagamentos fraudulentos. É preciso ser criterioso também nos e-mails e mensagens recebidas pelo WhatsApp. Não clique em links de remetentes desconhecidos.

Invista em plataformas de segurança, como antivírus, no computador, notebook celular. Conheça as soluções M3Corp.

Fonte: https://inforchannel.com.br/pesquisadores-revelam-aumento-de-30-000-de-ameacas-ciberneticas/