Hackers miram contribuinte digitalmente conectado

Os golpistas têm ferramentas extremamente sofisticadas que ajudam a disfarçar endereços da web fakes para softwares fiscais, como logotipos de empresas e designs de sites roubados 

 

As empresas e pessoas enfrentaram muitas mudanças no último ano com a adequação a um estilo de vida prioritariamente digital, o que inclui também, entre outras atividades do dia a dia, a declaração de imposto de renda. Um estudo realizado em 2021 revelou que, embora cerca de 2 em cada 3 americanos (63%) planejem pagar seus impostos online em 2021, 12% deles o farão digitalmente pela primeira vez. 

 

No Brasil, este cenário não é muito diferente. Com o aumento das atividades e transações online, o consumidor fica exposto potencialmente a mais riscos e às ameaças digitais. É fundamental, portanto, que todo cidadão entenda como manter-se seguro em ambiente digital. 

 

Embora o contribuinte seja alvo permanente de hackers, os registros de ataques cibernéticos em 2020 cresceram exponencialmente devido à Covid-19 e, em particular, os de mídia social, graças ao rápido desenvolvimento e adoção nos últimos anos de plataformas destinadas a este segmento. Os golpistas digitais coletam informações de perfis e, em seguida, usam esses dados para se passar por alguém que o usuário conhece para obter acesso a contas, fundos e outra modalidades de investimentos e aplicações. 

 

Também é comum ataques de phishing de e-mails, chamadas telefônicas cujo interlocutor finge passar por um agente da Receita Federal e ligações automáticas contendo ameaças de prisões.  

 

Aproveitando-se do momento atual de pandemia, muitos ataques de phishing utilizam palavras-chave como “coronavírus”, “Covid-19” e “estímulo” para criar iscas e gerar cliques.  

 

Golpes fiscais adicionais, por sua vez, podem ser mais difíceis de detectar, como quando um hacker consegue o número da previdência social (INSS) de outra pessoa e começa a explorar essas informações confidenciais na dark web, facilitando declarações fiscais fraudulentas. Neste caso, o golpista digital afirma à vítima ser capaz de suspender ou cancelar o INSS dela, na esperança de que o medo faça com que elas retornem as mensagens de voz via robocall. 

 

Saiba como proteger informações pessoais dos seus clientes e manter suas finanças seguras: 

Previna-se contra as tentativas de phishing 

Uma prática bastante comum utilizada por hackers durante a temporada fiscal. Para tanto, verifique a legitimidade de qualquer e-mail desconhecido ou remotamente suspeito, além de desconfiar de nomes estranhos registrados no anexo de arquivo. 

Cuidado com sites falsificados 

Os golpistas têm ferramentas extremamente sofisticadas que ajudam a disfarçar endereços da web fakes para softwares fiscais, como logotipos de empresas e designs de sites roubados. Certifique-se de digitar o URL diretamente na barra de endereço do seu navegador, em vez de seguir um link de um e-mail ou pesquisa na Internet. 

Torne os perfis de mídia social privados 

Para evitar golpes de mídia social, ajuste as configurações de sua conta de forma que apenas amigos e familiares possam vê-los. Além disso, reduza sua pegada digital geral para ficar mais seguro contra esses tipos de crimes cibernéticos. 

 
Para estratégias e políticas de cibersegurança completas, conheça o portfólio completo da M3Corp.  

 

Adaptado de: https://inforchannel.com.br/hackers-miram-contribuinte-digitalmente-conectado/