5G: até 2025 haverá 85 milhões de terminais na América Latina. O que isso significa para a cibersegurança?

De acordo com a consultoria Counterpoint Research até 2025 haverá 85 milhões de terminais de 5G na América Latina. Esta tecnologia tem encontrado dificuldades de “decolar” na região devido à escassez de redes e equipamentos a preços competitivos. O estudo aponta que este panorama sofrerá mudanças radicais a partir de 2022.

A especialista Tina Lu, Analista Principal da Counterpoint Research, afirmou que até 2025 teremos 85 milhões de unidades entre smartphones e outros dispositivos 5G na região. Brasil, Chile e México vão liderar o crescimento no curto prazo.

A velocidade de venda de dispositivos 5G a nível global será muito mais rápida que a de sua antecessora, a 4G. “Somente no terceiro ano de adoção da 4G chegamos aos 83 milhões de dispositivos conectados e no quarto ano foi atingida a marca de 200 milhões. Agora, quanto à 5G, estimamos que para o terceiro ano de comercialização da tecnologia já teremos cerca de 565 milhões de dispositivos vendidos. A previsão é que no sexto ano haja 1 bilhão de dispositivos habilitados para a 5G, contra 900 milhões da 4G”, afirma Lu.

A ultra velocidade de conexão permite o compartilhamento de informações e dados com agilidade nunca antes vista. Dessa forma, espera-se maior propagação de dispositivos IoT. Por isso, é provável que seja necessário rever políticas de segurança para evitar o risco de invasões.

Assim como toda nova tecnologia desenvolvida, a inovação do 5G apresente riscos cibernéticos para as redes. Com tantos dispositivos conectados, soluções de visibilidade total e gerenciamento de acesso privilegiado ganham destaque e maior peso nas políticas de segurança das empresas.