Veja aqui um dos destaques do Rio Innovation Week

Desde 2020, a maioria das empresas que não estavam totalmente digitalizadas tiveram que correr contra o tempo e implantar esse modelo em seus processos, tanto interno quanto externo, para atender a demanda que se iniciaria por causa da pandemia e do isolamento social, com a grande maioria dos colaboradores das empresas adotando o trabalho remoto, o home office. 

O desafio era grande, não apenas pela pandemia que pouco se sabia, mas também devido ao novo modelo de trabalho que não fazia parte da cultura organizacional da maioria das companhias. Mesmo empresas de maior porte, que sempre atuaram em formato presencial, como os bancos, tiveram que rever suas estruturas e implantar uma verdadeira transformação digital e tecnológica em seus processos. 

Em recente evento realizado no Rio de Janeiro, em janeiro de 2022, a Rio Innovation Week, colocou em um dos seus painéis, informações sobre a digitalização das empresas e como esse fator, não está atrelado apenas à tecnologia, mas também, nos processos intrinsicamente ligados às pessoas e a cultura da empresa. 

Aderir às novas tecnologias até que é fácil, perto do desafio que é mudar a cultura das empresas para essa implementação. O termo transformação digital não é novo, pelo contrário, na década de 1990 grandes companhias nacionais e internacionais já iniciavam esse caminho de evolução nos negócios. A diferença é que, com termos como BYOD (Bring Your Own Device), Inteligência Artificial, Machine to Machine, Segurança Digital, essas transformações foram atualizadas quase que simultaneamente, com a criação de novas soluções tecnológicas. 

Mas tudo isso só é possível, se tanto a empresa, quanto seus colaboradores, parceiros e fornecedores estiverem na mesma linha de entendimento e engajamento para que, de fato, a transformação ocorra.