imagem: ransomware faz parte do novo normal?

Ataques ransomware fazem parte do novo normal?

Mais uma vez o mundo foi atingido com um ataque ransomware. Parecido com o ciberataque pelo WannaCry Ransomware no mês passado, o Petya está causando ainda mais estragos entre os usuários, inutilizando bancos e infraestruturas, no que os experts em cibersegurança estão chamando de um dos invasores digitais mais devastadores do seu tipo. De fato, eles não só estão observando um aumento na frequência e sofisticação das ameaças, como um crescimento no volume e complexidade na proteção de dados, de modo que a montagem se torna trabalhosa, enquanto a escala e a infraestrutura tornam difícil a proteção das organizações.

Esses problemas levam à:

  • Dificuldade em identificar ameaças e detectar violações;
  • Aumento no custo de gerenciamento e detecção de ameaças;
  • Inabilidade para responder a ataques constantes;
  • Lentidão para traduzir ameaças em mudanças nas políticas de segurança;
  • Aumento do risco de comprometimento (e.g., perda de dados, violação de dados);
  • Colaboradores habilitados focados em tarefas de baixo valor operacional;
  • Interrupções – perda de receita, produtividade do negócio reduzida e perda de oportunidades para melhoria da segurança;
  • Perda de dados, reputação manchada, custos de limpeza e/ou divulgação de violação.

Se ataques ransomwares se tornarem comuns, as organizações vão precisar possuir ferramentas para reduzir o risco de segurança e aumentar a rapidez das respostas às ameaças.

Reduzindo riscos de segurança

O Risk Analyzer da Firemon é um Gerenciador de Risco de Vulnerabilidade, que prioriza os esforços de remediação. Essa ferramenta sobrepõe as informações de vulnerabilidade nas configurações da rede de segurança, para identificar riscos contextuais (e.g., hosts exploráveis), pontua as vulnerabilidades por nível de risco, e pontua regras de firewall pelo risco a que eles são expostos.  

É tudo sobre ser proativo

Os ciberataques são inevitáveis, mas os impactos deles não precisam ser. Se uma organização é proativa sobre as suas práticas de segurança, os impactos desses ataques como o Petya e o WannaCry, podem ser marginalizados. Usar ferramentas como o Risk Analyzer para avaliação de risco contextual e para encontrar caminhos de vulnerabilidade, é a chave para uma organização estar ou não preparada para a próxima vez — e com certeza terá uma próxima vez.

Entre em contato com a M3Corp e conheça mais sobre a Firemon e sobre sua solução Risk Analyzer.